Educomunicação e emergência climática: Quilombo Mata Cavalo ecoa tradição e resistência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31501/esf.v1i24.14017

Resumo

Este trabalho, que integra a Rede Internacional de Pesquisadores em Educação Ambiental e Justiça Climática, expõe vozes e ritmos do Quilombo Mata Cavalo. A metodologia é guiada pela Cartografia do Imaginário, nas tessituras da fenomenologia de Gaston Bachelard. Em cinco áudios, a história de tradições e resistência foi entoada. Acreditamos, assim, que a Educomunicação comunica a emergência climática, contribuindo nas audiências das vozes e das manifestações de resistência do povo quilombola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Cury Luiz, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Professor Adjunto do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal de Mato Grosso.

Michèle Sato, Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso (PPGE/UFMT)

Doutora em Ciências, mestra em Filosofia e licenciada em Biologia; Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso (PPGE/UFMT), Cuiabá, MT, Brasil.

Downloads

Publicado

2022-08-16 — Atualizado em 2022-08-16

Versões

Como Citar

Cury Luiz, T., & Sato, M. (2022). Educomunicação e emergência climática: Quilombo Mata Cavalo ecoa tradição e resistência. Esferas, 1(24), 426-440. https://doi.org/10.31501/esf.v1i24.14017

Edição

Seção

Artigos livres