[1]
G. Schwartz, “A Iconomia dos games: o mito da infância eterna e a privatização do imaginário no capitalismo lúdico”, esferas, vol. 1, nº 24, p. 123-143, ago. 2022.