O cartesianismo epistemológico de Leibniz

Autores

  • William de Jesus Teixeira Universidade de Brasília (UnB).

Resumo

Esse artigo pretende discutir em que medida a epistemologia de Leibniz pode ser considerada uma legítima herdeira da tradição epistemológica cartesiana. Em primeiro lugar, mostraremos que as noções leibnizianas de substância individual e mônada podem ser adequadamente entendidas como um desenvolvimento da teoria da percepção de Descartes. Por essa razão, argumentamos que através de sua teoria da percepção Descartes contribui para dar forma à concepção leibniziana de inatismo. A seguir, demonstramos que, ao operar uma espécie de Aufhebung da noção malebranchiana de ideia como objeto do pensamento e da noção de Arnauld de ideia como forma ou ato do intelecto, Leibniz estará corrigindo os equívocos cometidos por eles na interpretação da teoria das ideias de Descartes. Dessa maneria, Leibniz estará expondo aquilo que nós consideramos ser a teoria das ideias original de Descartes. Por fim, defendemos que a teoria da percepção e a teoria das ideias que Leibniz tomou emprestadas de Descartes foram essenciais para sua resposta às críticas de Locke ao inatismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

William de Jesus Teixeira, Universidade de Brasília (UnB).

Mestrando em Filosofia pela Universidade de Brasília (UnB).

Downloads

Publicado

2020-10-22

Edição

Seção

Artigos