Existe value premium para os fundos imobiliários brasileiros? Uma análise para o período 2013 a 2018

Helberte João França Almeida, Rafael Jasper feltrin, Gabriel Pereira Haas, Mauricio Simiano Nunes

Resumo


Com a queda da taxa básica de juros da economia brasileira e menor volatilidade que o mercado de ações, fundos imobiliários tornaram-se  trativos para os investidores. Ademais, sob a ótica da valorização, é possível analisá-los da mesma forma que ações, o que permite a realização de estudos sob o prisma de valor versus crescimento. Precisamente, ativos de valor são os que estão com uma baixa razão de preço por valor patrimonial, enquanto os ativos de crescimento possuem alta esta razão. Os resultados encontrados mostram que a carteira de valor apresenta desempenho superior, mas também com maior risco, o que pode ser verificado observando a volatilidade e o beta. Como o retorno maior pede um maior  isco, o mercado de fundos imobiliários está de acordo com a hipótese do CAPM. Ademais, diante deste resultado, é possível afirmar que não existe value premium no mercado de fundos imobiliários brasileiros.


Palavras-chave


Fundos imobiliários brasileiros; Índice Book-to-market; Value premium.

Texto completo:

PDF