O que é ser jogador de futebol? Autoconceito de atletas do futebol sergipano.

Autores

  • Cleberson Franclin Tavares Costa Universidade Tiradentes/SE
  • Aline da Conceição Souza Costa Universidade Federal de Sergipe
  • Marlizete Maldonado Vargas Universidade Tiradentes/SE

DOI:

https://doi.org/10.31501/rbpe.v8i2.9601

Resumo

O presente estudo objetivou investigar o autoconceito profissional de atletas do futebol sergipano. Trata-se de pesquisa observacional e descritiva, com 78 atletas profissionais que disputaram as semifinais do campeonato estadual. As entrevistas semiestruturadas foram submetidas à análise do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC). Seis DSC representaram o autoconceito de profissão: Sonho (35,7%); Fazer o que gosta (25,8%); Ser Profissional (13,6%); Remuneração/Sustento Financeiro (7,7%); Exercer um dom (6,2%) e Tudo na vida (4,6%). Sobre jogar no futebol sergipano, 50,6% destacaram tratar-se de uma boa oportunidade profissional. Conclui-se que ser atleta profissional de futebol é um projeto de vida para a maioria dos pesquisados que demanda muitas responsabilidades. O futebol sergipano é considerado representativo e atrativo para os atletas, principalmente para os iniciantes. Considera-se relevante a comparação desses achados com outros estudos que investiguem profissionais de outros centros brasileiros de menor destaque esportivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cleberson Franclin Tavares Costa, Universidade Tiradentes/SE

Psicólogo, Mestre e Doutorando em Saúde e Ambiente, Professor da Universidade Tiradentes/SE.

Aline da Conceição Souza Costa, Universidade Federal de Sergipe

Psicóloga, Mestre em Psicologia Social pela Universidade Federal de Sergipe

Marlizete Maldonado Vargas, Universidade Tiradentes/SE

Psicóloga, Doutora em Psicologia, Professora do Programa de Pós-Graduação em Saúde e Ambiente da Universidade Tiradentes/SE

Downloads

Publicado

2018-10-28