TRIBUTAÇÃO INDUTORA EM TEMPOS DE PANDEMIA: CONSEQUÊNCIAS, LIMITES E POSSIBILIDADES

Autores

Resumo

 O presente artigo tem como objetivo analisar as possibilidades, limites e consequências da tributação indutora em tempos de pandemia, partindo da verificação de planos de ação de iniciativa do G20 com contribuições da OCDE e do FMI, com relação às políticas fiscais a serem adotadas pelos países, na tentativa de minimizar os prejuízos e planejar a recuperação econômica mundial no período pós-pandêmico. O estudo também verificou as medidas tributárias adotadas pelo Brasil, seja utilizando-se de tributos regulatórios ou de incentivos fiscais. Para tanto, a metodologia empregada foi a revisão bibliográfica. Adotando-se como parâmetro as medidas propostas em nível internacional, observou-se que o Estado brasileiro está muito aquém do que é recomendado no enfrentamento da crise fiscal. Além disso, a pandemia demonstrou a fragilidade coletiva global, revelando que um elo fraco entre os países é capaz de comprometer a saúde física e econômica de todos os outros. Assim, a tributação indutora permanece sendo um relevante instrumento para solucionar os desafios econômico-financeiros, contudo, deve ser utilizada de forma planejada, controlada e transparente. What do you want to do ?New mailCopy What do you want to do ?New mailCopy What do you want to do ?New mailCopy

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Felipe Monteiro Seixas, Universidade Federal Rural do Semi-Árido – UFERSA

 What do you want to do ?New mailCopy What do you want to do ?New mailCopy

Fernanda Lucena de Albuquerque, Faculdade Católica do Rio Grande do Norte - FCRN

 What do you want to do ?New mailCopy What do you want to do ?New mailCopy What do you want to do ?New mailCopy

Downloads

Publicado

2022-07-04

Edição

Seção

Artigos