RISCO E PRÁTICAS CORPORAIS NA NATUREZA: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

Priscilla Pinto Costa Silva, Andréa Maria Pires Azevedo, Emília Amélia Pinto Costa Silva, Clara Maria Silvestre Monteiro Freitas,

Resumo


Como as práticas corporais na natureza estão interligadas ao risco real ou calculado, o seu estudo pode dizer muito sobre os elementos essenciais da pós-modernidade que apontam para um sentimento de aventura, em que algumas situações ocasionam acidentes, lesões e doenças, podendo atingir a fatalidade. O objetivo do estudo é revisar a literatura científica a luz dos riscos ocorridos nas práticas corporais na natureza. Adotou-se como metodologia a revisão sistemática realizada nas bases de dados eletrônicas MEDLINE/PubMed, LILACS, SciELO e Bireme. Como critério de inclusão instituiu-se artigos originais, publicados no período de 2000 a junho de 2009, em periódicos nacionais e internacionais (português e inglês), e pesquisas realizadas com humanos. Foram selecionados 11 artigos, os quais atendiam aos critérios de inclusão estabelecidos. O processo de seleção foi realizado por pares. As análises dos artigos revelaram que os sujeitos da amostra foram predominantemente de jovens e adultos, que apresentaram maior reincidência ao risco nas seguintes práticas: andar a cavalo, mountain bike, atividades aquáticas, caminhadas, atividades em montanhas e esportes na neve. Os gastos com acidentes e lesões podem atingir um alto custo para empresas de gerenciamento, os estabelecimentos possuem regras e normas predeterminadas. As causas dos acidentes e lesões provocadas nestas práticas são ocorridas pela carência de intervenção e promoção educacional quanto às regras e normas de segurança necessárias. Neste sentido, os artigos selecionados permitem buscar novas estratégias que possibilitem transformações nos aspectos de segurança para minimizar os riscos que as praticas corporais na natureza pode oferecer aos usuários.

Palavras-chave


Assunção de risco. Natureza. Lesão.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v18i2.1138

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement