DESENVOLVIMENTO DE UM DINAMÔMETRO PARA MEDIR FORÇA DE FLEXÃO DO TRONCO.

Catiane Souza, Nicholas Kostopoulos Cardoso, Edgar Santiago Wagner Neto, Luiz Carlos Gertz, Jefferson Fagundes Loss

Resumo


Níveis adequados de força são essenciais para a saúde das mais diversas populações. No que se refere à força de flexores do tronco e de extensores do tronco, é imprescindível que haja equilíbrio, o que denota a importância de avaliar e acompanhar tais variáveis. Para os extensores do tronco é amplamente conhecido o dinamômetro analógico que permite avaliações rápidas e de baixo custo. Porém, não foram encontrados relatos de um aparelho similar para avaliar flexores do tronco. Logo, o objetivo do presente estudo foi desenvolver um dinamômetro para avaliar a força de flexores do tronco. Foi desenvolvido um protótipo para avaliar a força de flexão do tronco a partir da posição sentada. Foram avaliadas a validade do instrumento, comparando os valores medidos com cargas previamente conhecidas, a repetibilidade (avaliações consecutivas) a reprodutibilidade no tempo (avaliações com um dia de intervalo) e a reprodutibilidade de posição (com a carga sendo aplicada em diferentes pontos do instrumento). Foi testada a normalidade dos dados com o teste de Shapiro-Wilk. A validade das medidas foi analisada com base no teste-t e no erro RMS (raiz quadrada das médias quadráticas). A repetibilidade e a reprodutibilidade foram avaliadas pelo teste-t, pelo erro RMS entre as medidas e pelo ICC (coeficiente de correlação intraclasse). Na reprodutibilidade intra-posição utilizou-se também uma ANOVA. Não foram encontradas diferenças entre as situações avaliadas. Em todos os testes, o ICC foi classificado como excelente (>0.995) e foram encontrados baixos valores de erro RMS (erro padrão de medida) (<1,5 kgf), SEM (mínima mudança detectável) (<1,3 kgf) e MDC (<2,3 kgf). Frente aos resultados obtidos, conclui-se que o instrumento desenvolvido apresenta validade, repetibilidade e reprodutibilidade no tempo e posição.

Palavras-chave


Core; Força Muscular; Biomecânica; Flexores do tronco

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.31501/rbcm.v28i1.10199

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement