DESENVOLVIMENTO MOTOR INFANTIL E INFLUÊNCIA DE FATORES BIOLÓGICOS

Rita Cassiana Michelon, Daiane Alves Delgado, Laís Rodrigues Gerzson, Carla Skilhan de Almeida, Maria da Graça Alexandre

Resumo


Objetivo: investigar a associação entre o desenvolvimento motor e fatores biológicos em lactentes clinicamente estáveis da Unidade de Internação Pediátrica do Hospital Materno Infantil Presidente Vargas (HMIPV), em Porto Alegre, Rio Grande do Sul.
Métodos: Estudo transversal, descritivo, composto por crianças de quatro a 18 meses, provenientes da unidade de internação pediátrica de um hospital público de Porto Alegre, RS, clinicamente estáveis e com alta breve prevista. Para a avaliação dos fatores biológicos foi utilizado um questionário elaborado semi-estruturado. Para a avaliação do desenvolvimento motor, foi utilizada a Alberta Infant Motor Scale (AIMS), na versão traduzida, adaptada e validada para a população brasileira. Para a análise estatística foi utilizado o teste t de Student e o teste Qui-quadrado, com nível de significância de 5% (p?0,05) para todos os testes.
Resultados: De um total de 110 crianças avaliadas, 55,5% eram do sexo masculino, 60% não tinham patologia prévia, 21,8% eram prematuros e 19,1% nasceram com baixo peso. Quanto ao desenvolvimento motor 63,6% apresentaram atraso ou suspeita de atraso. Fatores biológicos como peso ao nascimento (p=0,43), prematuridade (p= 0,023) e atraso nas vacinas (p=0,005) apresentaram associação com o atraso no desenvolvimento motor.
Conclusão: Os dados apontam que alguns fatores biológicos como a prematuridade, baixo peso ao nascer e atraso nas vacinas podem ser considerados fatores de risco ao desenvolvimento motor de crianças de quatro a 18 meses.

Palavras-chave


Desenvolvimento Infantil; Fatores de risco; Fatores biológicos; Lactentes; fisioterapia

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.31501/rbcm.v28i1.10216

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement