AVALIAÇÃO DA AMPLITUDE DE MOVIMENTO EM PRATICANTES DE UM PROGRAMA DE CONDICIONAMENTO EXTREMO

Antônio Ribeiro Neto, Lucimara Ferreira Magalhães, Dernival Bertoncello

Resumo


O objetivo desse estudo foi avaliar a amplitude de movimento articular de praticantes de um programa de condicionamento extremo. O estudo transversal, descritivo, caracteriza-se por uma pesquisa quanti-qualitativa. Os praticantes responderam perguntas sociodemográficas, relacionadas à prática da modalidade, se possuía alguma dor/desconforto articular e realizaram testes para a avaliação da amplitude articular de ombro, punho, quadril e tornozelo. Os testes realizados foram: Reverse Wall Slide para o ombro, Weight-Bearing Box Test para o punho, Supine Kness-To-Chest para o quadril e Weight-Bearing Lunge Test para a articulação do tornozelo. Foram avaliados 46 praticantes, sendo 26 mulheres e 20 homens. Os resultados foram analisados e apresentados de forma descritiva com cálculo da média e desvio padrão. Nos praticantes avaliados cerca de 30,43%; 80,45%; 58,69% e 60,28% apresentaram avaliação positiva para a amplitude de movimento de ombro, punho, quadril e tornozelo, respectivamente. Foi encontrado correlação positiva e fraca somente entre o resultado do teste de mobilidade do tornozelo e dor/desconforto

Palavras-chave


Amplitude de Movimento; Exercício; Treinamento de Resistência. Limitação da Mobilidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.31501/rbcm.v28i4.11694

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement