EFEITOS DE DIFERENTES PROTOCOLOS DE PRÉ-ATIVAÇÃO ANTAGONISTA CONTRALATERAL SOBRE O DESEMPENHO DE REPETIÇÕES MÚLTIPLAS

Felipe Bastos Cabral, Anderson Souza, Igor Nasser, Humberto Miranda, Gabriel Paz

Resumo


A educação cruzada corresponde a uma adaptação neural em que ocorre a melhoria de desempenho do membro não treinado após um período de prática unilateral do membro contralateral homólogo. Sendo assim, há uma transferência de força por meio de mecanismos do córtex motor durante o movimento unilateral. O objetivo do estudo foi investigar os efeitos de diferentes protocolos de pré-ativação antagonista contralateral sobre o desempenho de repetições múltiplas. Quinze mulheres treinadas realizaram quatro protocolos usando cargas máximas de dez repetições em um total de três séries nos exercícios cadeira extensora (CE) e cadeira flexora (CF): protocolo preferido flexor-extensor (PPFE) CF membro não preferido + CE membros preferido; protocolo preferido extensor-flexor (PPEF) CE membro não preferido + CF membro preferido; protocolo não preferido extensor-flexor (PNPEF) CE membro preferido + CF membro não preferido; protocolo não preferido flexor-extensor (PNPFE) CF membro preferido + CE membro não preferido; Foi adotado um intervalo de dois minutos entre as séries e exercícios. Verificou-se um volume total de treinamento significativamente maior no protocolo flexor-extensor para a CE e no protocolo extensor-flexor para a CF. Na CE verificou um aumento significativo no tempo sob tensão (TST) no membro não preferido versus preferido no protocolo flexor-extensor. Enquanto na CF o tempo sob tensão foi significativamente maior no protocolo extensor-flexor para ambos os membros. Não houve diferença significativa entre os protocolos e exercícios para percepção subjetiva de esforço. A pré-ativação antagonista contralateral permitiu um aumento no volume total de treinamento e um aumento no tempo sob tensão em ambos os protocolos durante a CE e CF sendo uma possível alternativa para tal objetivo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.31501/rbcm.v29i1.11739

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement