TESTE DE FORÇA PRANCHA EM CRIANÇAS: REPRODUTIBILIDADE, CONFIABILIDADE E RELAÇÃO COM O TESTE SIT-UP

Vanilson Batista Lemes, Adroaldo Cezar Araujo Gaya, Caroline Brand, Rodrigo Baptista Moreira, Anelise Reis Gaya

Resumo


O objetivo deste estudo foi verificar a reprodutibilidade e confiabilidade do teste “Prancha” em escolares de 6 a 12 anos; e identificar a associação entre a medida de força isométrica no teste prancha com força/resistência abdominal no teste sit-up. Trata-se de um estudo transversal com abordagem quantitativa, realizado com 221 escolares, 58,8% do sexo masculino, selecionados por conveniência em uma escola do Sul de Santa Catarina, Brasil. Avaliou-se a força isométrica abdominal por meio do teste prancha, adaptado de Mckenzie. A força/resistência abdominal sit-up em 1 minuto foi avaliada seguindo o protocolo do PROESP-BR. Mensurou-se a reprodutibilidade e confiabilidade com teste de correlação intraclasse (CI) e gráfico de Bland e Altman. A correlação da força no teste prancha com o teste abdominais sit-up foi mensurada de acordo com o coeficiente de determinação (R2), gráficos de dispersão em 3 dimensões e alfa de Cronbach. A CI entre medidas do teste prancha apresentou concordância elevada (>0,70; p=0,001). Apenas 14 sujeitos apresentaram valores fora dos intervalos de confiança na análise de Bland e Altmann. Houve elevada relação entre teste, re-teste no teste prancha com o número de abdominais sit-up em um minuto (R2=0,43 masculino; R2=0,33 feminino) e alfa de Cronbach elevado entre as três medidas (0,87 masculino; 0,82 feminino). Conclui-se que o teste prancha isométrica apresenta um elevado nível de reprodutibilidade, confiabilidade e elevada relação com a força abdominal sit-up. O teste prancha pode ser utilizado como medida alternativa para a força isométrica abdominal em escolares.

Palavras-chave


aptidão física; Problemas e Exercícios; criança

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.31501/rbcm.v29i1.12118

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement