NÍVEL DE ESTRESSE ENTRE SEDENTÁRIOS E PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA EM DIFERENTES PROGRAMAS - DOI: http://dx.doi.org/10.18511/0103-1716/rbcm.v22n4p22-26

Lucas Higa, Jéssica Matias, Fabricio Madureira, Emilson Colantonio, Lais Guerra, Claudio Scorcine

Resumo


O estresse é uma reação do organismo com componentes psicológicos, físicos, mentais e hormonais que ocorre quando surge a necessidade de uma grande adaptação a um evento ou situação de importância. Este evento pode ter um sentido negativo ou positivo. A prática de atividade física vem demonstrando diversos benefícios em relação à saúde e diminuição dos níveis de estresse em diversas modalidades. Entretanto, a comparação de diferentes modalidades esportivas e a possível associação com a melhora do estresse ainda é escassa na literatura. Objetivo: Comparar os níveis de estresse entre sedentários e praticantes de atividade física em modalidades distintas. Após a assinatura do termo de consentimento livre e esclarecido por parte dos voluntários, foi aplicada uma anamnese com os dados pessoais. O nível de estresse foi avaliado utilizando um questionário de estresse percebido pré e pós prática de atividade física. Participaram 160 indivíduos separados em grupos de 20 em cada modalidade, um o grupo controle formado por sedentários que já praticaram atividade física e outro que nunca praticou. Os resultados indicaram que os indivíduos sedentários apresentaram níveis de estresse superiores aos encontrados nos indivíduos treinados, ainda que o efeito da atividade física é agudo melhorando os índices de estresse logo após o treinamento para os programas de musculação, natação, voleibol e dança. Concluiu-se que a atividade física foi eficiente para diminuição dos níveis de estresse e seu efeito é agudo. As modalidades natação, musculação, dança e voleibol foram eficientes para diminuição dos níveis de estresse e cada programa influenciou os resultados em diferentes domínios.

Palavras-chave


Estresse; Atividade Física; Sedentarismo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v22i4.4736

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement