PRÁTICA PEDAGÓGICA DAS LUTAS NO BRASIL: ANÁLISE DE CONTEXTOS NÃO FORMAIS DE ENSINO - DOI: http://dx.doi.org/10.18511/0103-1716/rbcm.v23n1p12-23

Luiz Gustavo Bonatto Rufino, Suraya Cristina Darido

Resumo


Este estudo analisou a prática pedagógica das lutas em contextos não formais de ensino no Brasil, por meio de observações e entrevistas com professores experientes nas seguintes práticas corporais: karatê, judô, jiu jitsu e kung fu. Os resultados foram submetidos à Análise de Conteúdo, cruzando as informações adquiras com os instrumentos utilizados e alocados nas categorias: rituais e cerimônias, tradição e disciplina, procedimentos de ensino, diferenciações no ensino de crianças e adultos e conformismo, criticidade e criatividade. De modo geral, as lutas são ensinadas privilegiando a repetição de gestos técnicos, não concentrando o processo nos praticantes que se-movimentam. Para que o ensino dessas modalidades seja mais crítico e criativo é necessário transformar determinadas condutas tradicionalmente construídas, permitindo que o ensino das lutas contribua para a formação e o desenvolvimento crítico de seus praticantes.

Palavras-chave


Artes marciais; Ensino; Prática pedagógica; Contextos não formais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v23i1.5271

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement