Comparação entre a PSE planejada pelo treinador com a percebida por jovens atletas de atletismo

Ramon Cruz, Jefferson Verbena de Fretas, João Paulo Nogueira da Rocha Santos, Phelipe Henrique Cardoso Castro, Renato Siqueira, Danilo Leonel Alves, Jorge Roberto Perrout de Lima

Resumo


O sucesso do treinamento esportivo para jovens depende, também, de uma relação ótima entre a intensidade da sessão de treinamento prescrita pelo treinador e percebida pelo atleta, desta maneira, o objetivo do trabalho foi comparar a percepção subjetiva de esforço (PSE) indicada por jovens atletas de atletismo com a planejada pelo treinador para sessão de treinamento. Participaram do estudo 28 voluntários, de ambos os sexos, atletas de atletismo com pelo menos seis meses de treinamento, com média de idade 14,0 ± 1,32 anos, massa corporal 52,4 ± 11,5 e estatura 162,7 ± 9,3 cm, e o treinador da equipe, que tinha seis anos de experiência. O treinador apresentou previamente a execução do treinamento a PSE planejada para cada atleta, e a PSE dos jovens foi coletada 30 minutos após o término de cada sessão. A PSE planejada pelo treinador foi diferente da indicada pelo atleta (3,6 ± 1,2 e 3,1 ± 1,54, respectivamente) e também nas três intensidades; leve 1,80 ± 0,41 e 2,92 ± 1,13, moderada 3,54 ± 0,72 e 4,19 ± 1,45 e forte 7,35 ± 1,33 e 4,46 ± 0,63, respectivamente. Os jovens participantes deste trabalho percebem valores distintos de PSE quando comparada com a planejada pelo treinador, sendo que, para as intensidades leve e moderada sua PSE é menor e para a intensidade pesada é maior do que a planejada. Preconiza-se que haja acompanhamento diário das intensidades percebidas pelos atletas de atletismo durante o treinamento e também comparação constante com o que é planejado pelo treinador.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v25i1.5997

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement