NÍVEIS DE FLEXIBILIDADE E FORÇA MUSCULAR EM MULHERES PRATICANTES E NÃO PRATICANTES DE HIDROGINÁSTICA

Priscylla Teixeira Lima, Kelly Dayane Martins Malheiros, Marilúcia Ribeiro dos Santos

Resumo


O estudo teve como objetivo comparar os níveis de flexibilidade e força muscular em mulheres praticantes e não praticantes de hidroginástica da cidade de Guanambi/BA. Para isso, realizou-se uma pesquisa de campo de caráter quantitativo, descritivo e explicativo, composta por uma amostra de quarenta mulheres, sendo vinte mulheres praticantes e vinte mulheres não praticantes de hidroginástica, com a faixa etária dos 50 aos 77 anos de idades. A coleta dos dados foi através de três testes: “teste de sentar e alcançar”, “teste de força de preensão manual” e “teste de levantar da cadeira em 30 segundos”. Os dados foram tabulados e organizados no Programa da Microsoft Excel versão 2013. Em seguida, os resultados foram transpostos para a planilha do programa Graph Pad Prism 6, para comparar à média e o desvio padrão das variáveis (testes), utilizando o teste “t”. Para análise estatística dos dados usou o programa Graph Pad Prism 6, que se atribui como nível de significância valor de p<0,05. Após a análise dos dados notou-se que no “teste de sentar e alcançar”, as praticantes de hidroginástica encontram-se na faixa recomendável e na baixa aptidão. Já no “teste de preensão manual direita e esquerda” foram classificadas como regular e fraca, e no “teste de levantar da cadeira em 30 segundos” encontram-se no valor de repetições recomendável.

Palavras-chave


atividade física; Educação Física

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v26i3.7003

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement