ENTRE O AMADORISMO, A PROFISSIONALIZAÇÃO E A CARREIRA DUPLA: O FUTSAL FEMININO DE ELITE SUL-AMERICANO

Mariana Zuaneti Martins, Heloisa Helena Baldy dos Reis, Rafael Moreno Castellani, Wilton Carlos Santana, Helena Altmann

Resumo


Este artigo exploratório analisou a carreira esportiva de jogadoras de futsal das seleções sul-americanas, a partir de indicadores referentes à idade de início da prática do futsal, local onde se deu essa iniciação, quem as incentivou a praticar, a idade da primeira participação em campeonatos, a frequência semanal de treinos e dedicação atual ao futsal. A fim de traçar esse panorama da excelência da modalidade no continente, realizou-se um survey com as atletas das seleções de futsal feminina sul-americanas que disputaram o Campeonato Sul Americano de Futsal, de 2009, excetuando a brasileira. Buscou-se, baseado nesses indicadores, a construção de um primeiro panorama da realidade da carreira do futsal de mulheres de alto rendimento da América do Sul, bem como indicar alguns elementos predominantes nela. Este panorama indicou um contexto paradoxal, com condições de envolvimento na base em clubes e escolas, com apoio dos pais e familiares, mas marcado pela ausência de participação em competições. A maior parte das atletas não recebe remuneração para jogar e boa parte não se dedica exclusivamente àquele, exercendo outras atividades. Consequentemente, a frequência semanal de treinos pode ser considerada baixa. Nesse sentido, o futsal feminino sul-americano, ainda apresenta uma carreira de elite pouco estruturada e amadora.

Palavras-chave


futsal; feminino; carreira esportiva; Performance Esportiva

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.31501/rbcm.v26i1.7667

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement