EFEITO DA PRÁTICA ESPORTIVA SISTEMATIZADA NO DESEMPENHO COORDENATIVO COM BOLA DE ESCOLARES

Siomara Aparecida Silva, Jenipher Emanuelle de Lima Campos Zampier

Resumo


Este estudo teve como objetivo comparar e avaliar o desempenho coordenativo com bola de escolares engajados em um projeto esportivo com escolares inseridos apenas nas aulas de educação física. Participaram 127 alunos de escolas públicas da cidade de Ouro Preto/MG, de 7 a 15 anos de idade. A amostra foi dividida em dois grupos: participantes de projeto esportivo e não participantes de projeto esportivo. A coleta de dados foi realizada em dois momentos, pré-teste e pós-teste. O instrumento utilizado para avaliar a coordenação com bola foi o Teste de coordenação com bola (TECOBOL). Usou-se medidas de tendências centrais, o teste T-Student pareado e ANOVA One-way. Além disso, foi calculado o tamanho do efeito. Verificou-se que em todas as habilidades os momentos, no grupo participante se diferenciaram significativamente. Houve ganhos no desempenho coordenativo com bola no grupo participante em todas as habilidades e sexos. No grupo não participante o desempenho coordenativo com bola melhorou nas habilidades lançar e chutar, em ambos os sexos, porém nas habilidades de transporte da bola o desempenho piorou no sexo feminino. Comparando as quatro habilidades nos dois grupos, grupo participante e grupo não participante no momento pré-teste foi verificado que as mesmas se apresentaram diferentes significativamente. Nesta mesma análise, no momento pós-teste, os grupos só diferenciaram-se significativamente na habilidade de lançamento. O grupo participante possuía um nível coordenativo inferior no início das atividades esportivas do projeto quando comparados com o grupo não participante, permanecendo inferior no pós-teste. O tamanho do efeito no grupo participante foi de médio a grande. Ficou constatado que em ambos os momentos pesquisados o grupo de superioridade coordenativa com bola foi o engajado apenas nas aulas de Educação Física. E que os ganhos coordenativos em todas as habilidades e sexos foram assegurados somente aos que estavam submetidos à prática esportiva sistematizada.

Palavras-chave


Destreza motora; Atividades esportivas; Educação física e treinamento.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.31501/rbcm.v26i3.7783

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement