RISCO DE USO DE DROGAS EM ADOLESCENTES: IMPORTÂNCIA DO PROGRAMA SEGUNDO TEMPO

Monica Jane Cabral da Silva, Tarciano Ricardo Holanda Leite, Leonardo dos Santos Oliveira, Priscilla Pinto Costa da Silva, Emília Amélia Pinto Costa Rodrigues, Aline de Freitas Brito

Resumo


O Programa Segundo Tempo (PST) é um programa do Governo Federal que busca democratizar o acesso à prática do esporte, por meio da parceria com as Secretarias de Esporte e Lazer. Entende-se que por meio da prática esportiva, os sujeitos têm a possibilidade de compreender melhor seu corpo, suas limitações e potencialidades, entre outros aspectos. Além disso, o esporte pode conduzir as crianças e adolescentes para um caminho longe das drogas. Nesta perspectiva, este estudo identificou o risco para o uso de drogas ilícitas nos alunos praticantes do PST da cidade de João Pessoa/PB por meio do perfil socioeconômico e de caráter familiar. Sessenta e dois adolescentes, com idade entre 12 e 16 anos, matriculados no PST, responderam a um questionário sobre informações pessoais, socioeconômicas e culturais, além de perguntas objetivas relacionadas ao tema do estudo. Foi verificado um maior percentual do uso de drogas ilícitas entre os adolescentes com pais divorciados (56,5%). Observou-se uma associação entre o uso de drogas com o tempo livre, com o parente que reside com o adolescente e com o estado civil dos pais. Em adição, ficou caracterizada uma tendência linear de associação entre o o uso de drogas e a renda familiar dos alunos/escolaridade da mãe. Foi possível constatar que a prática de esportes é a atividade que ocupa o maior tempo livre destes adolescentes. Neste caso, é preciso ater-se à importância do diálogo dentro dos projetos sociais, podendo ser um meio eficaz aliada a prática esportiva. Portanto, é necessário um trabalho multidisciplinar com professores de educação física, assistentes sociais e psicólogos, para que, de forma conjunta, elaborem estratégias de intervenção com intuito de proporcionar uma melhor qualidade de vida a esses adolescentes.

Palavras-chave


Política pública; Drogas ilícitas; Adolescentes

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v26i2.7808

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement