VANTAGEM DE JOGAR EM CASA NO FUTEBOL FEMININO: UMA ANÁLISE DE TRÊS IMPORTANTES CAMPEONATOS NO BRASIL

Júlia Barreira

Resumo


A vantagem de jogar em casa (VC) no futebol masculino é bastante conhecida e bem documentada. Recentemente a VC foi estudada em ligas europeias de futebol feminino, mas permanece desconhecida nos campeonatos brasileiros. O objetivo desse estudo foi analisar a VC nos três principais campeonatos de futebol feminino do Brasil. Foram analisadas 280 partidas do Campeonato Brasileiro (2013 - 2016), 259 da Copa do Brasil (2012 - 2016) e 1241 do Campeonato Paulista (2008 - 2016). De cada partida foram coletados os times participantes, o placar final e local do jogo. A VC foi definida como o número de pontos vencidos pelos times da casa expresso em percentual de todos os pontos obtidos no campeonato. As análises foram realizadas para cada edição e campeonato. A hipótese nula unilateral, Ho:VC=50% e H1:VC>50%, foi utilizada para analisar a existência da vantagem em cada campeonato. Para comparar as VC entre os três campeonatos analisados, foi utilizado o teste de análise de variância (ANOVA) com post-hoc de Tukey. As VC médias encontradas para cada campeonato foram de 60% no Campeonato Brasileiro, 55% na Copa do Brasil e 53% no Campeonato Paulista, todas significativamente maiores que 50%. O Campeonato Brasileiro também apresentou a VC significativamente maior que os outros dois campeonatos (p=0.0132). Conclui-se que existe VC nos campeonatos de futebol feminino no Brasil, vantagem que pode ser explicada pela torcida, efeito da viagem, familiaridade com o campo, viés do árbitro e fatores psicológicos. A maior vantagem no Campeonato Brasileiro provavelmente reflete as desvantagens dos longos deslocamentos realizados pelos times visitantes.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.31501/rbcm.v26i3.7810

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement