COMPORTAMENTO SEDENTÁRIO E FATORES ASSOCIADOS EM ESTUDANTES ESPANHÓIS E BRASILEIROS

Silvia Bandeira da Silva-Lima, Walcir Ferreira-Lima, Flávia Évelin Bandeira-Lima, Fellipe Bandeira-Lima, Edmar Lacerda Mendes, Jorge Augusto Pinto Silva Mota, Carlos Alexandre Molena-Fernandes, Juan Pedro Fuentes

Resumo


O objetivo do estudo foi analisar o comportamento sedentário e fatores associados em estudantes espanhóis e brasileiros. Foi feito um estudo transversal realizado em Paranavaí-Brasil em 2013 e Cáceres-Espanha em 2015. Os Comportamentos Sedentários foram mensurados por questionário de estilo de vida, com perguntas sobre tempo de tela (televisão, videogames e internet), em dias de semana e aos fins de semana. O ponto de corte de ?2 horas/dia foi usado para categorizar o desfecho. Para analisar os resultados da investigação foram utilizados os testes U de Mann-Whitney, X2 e Odds Ratio (IC 95%). A amostra foi composta em Cáceres por 235 e em Paranavaí por 284 estudantes de 11 a 16 anos de idade. Os estudantes espanhóis foram mais ativos, e com maiores valores de índice de massa corporal. Os estudantes brasileiros apresentaram maior obesidade abdominal e maior exposição aos comportamentos sedentários (tempo de uso da TV, videogame e computador). Ter mais idade (14 a 16 anos) apresentou na Espanha maior chance de exposição ao uso de TV. Ser do sexo masculino representou maior chance de exposição ao videogame em ambos os países. Aproximadamente 38,7% dos espanhóis e 78,6% dos brasileiros apresentaram de um a três comportamentos sedentários no meio de semana (X2=104,772; p<0,001), e aos finais de semana 83,4% e 88,8%, respectivamente (X2=16,937; p<0,001). A prevalência de comportamento sedentário nos dois grupos foi alta. Fatores associados como sexo, idade, dependência administrativa da escola, índice de massa corporal, perímetro da cintura e nível de atividade física, devem ser considerados para se desenvolver programas educativos regulares e permanentes no controle desta conduta.

Palavras-chave


Estilo de vida sedentário; Adolescente; Televisão; Computadores; Jogos de Vídeo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v26i1.7955

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement