ATIVIDADE FÍSICA NO LAZER COMO CRITÉRIO DISCRIMINANTE DO MENOR NÍVEL DE ESTRESSE PERCEBIDO EM ADOLESCENTES

Camilo Luis Monteiro Lourenço, Gersiel Nascimento de Oliveira Júnior, Hugo Ribeiro Zanetti, Edmar Lacerda Mendes

Resumo


O objetivo do presente estudo foi identificar os pontos de corte do tempo despendido em atividades físicas no lazer (AFL) de diferentes intensidades como critério discriminante do menor nível de estrese percebido (MEP) em adolescentes. Trata-se de um estudo transversal com amostra composta por adolescentes de 14 a 18 anos, de ambos sexos, do ensino médio regular. Dados da atividade física e do MEP foram obtidos por meio do questionário COMPAC. MEP foi considerada variável de classificação, enquanto minutos em atividades físicas no lazer (AFL) de intensidade moderada (AFLM), vigorosa (AFLV) e moderada a vigorosa (AFLMV) as variáveis de teste. Na análise dos dados foi usada a curva ROC, complementadas por valores de sensibilidade e especificidade, adotando-se área sob a curva (AUC > 0,50) e p < 0,05. A amostra final deste estudo foi de 984 adolescentes (idade: rapazes = 15,93 ± 1,10 anos; moças = 15,87 ± 1,04 anos) com maior proporção de moças (n = 544; 55,3%). O tempo despendido em AFLM ? 40 min/sem (sensibilidade = 41,7%; especificidade = 75,7%; AUC = 0,59; p<0,002) e, AFLMV ? 80 min/sem (sensibilidade = 83,2%; especificidade = 36,2%; AUC = 0,58; p < 0,04) para os rapazes apresentou poder discriminante para MEP. AFLM e AFLMV apresentaram poder discriminatório para o MEP em adolescentes do sexo masculino, entretanto, o tempo despendido como critério discriminante para o MEP foi abaixo do recomendado para essa população.

Palavras-chave


Atividade motora, Estresse psicológico, Adolescentes, Estudo transversal

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v25i3.7457

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement