LIMIAR DE VARIABILIDADE DA FREQUÊNCIA CARDÍACA EM TESTE PROGRESSIVO DE CAMINHADA EM DIABÉTICOS TIPO 2

Lucieli Teresa Cambri, Juliana Pereira Decimo, Lenise Fronchetti, Fernando Roberto De Oliveira, Monique da Silva Gevaerd

Resumo


O objetivo deste trabalho foi analisar a modulação autonômica cardíaca durante o exercício em diabéticos tipo 2. Foram avaliados 9 homens com 56,4 ± 5,6 anos. A freqüência cardíaca (FC) e a variabilidade da freqüência cardíaca (VFC) de repouso foram mensuradas na posição supina. Foi realizado um teste progressivo de caminhada em campo para identificação do limiar de VFC (LiVFC). A FC e os intervalos R-R foram registrados pelo cardiofreqüencímetro POLAR modelo S810i. Os intervalos R-R foram tratados no programa Polar Precision Performance. O LiVFC, pelos critérios de Lima e Kiss (1999) e de Tulppo et al (1998), foi identificado em todos os sujeitos e pelo critério de regressão linear não foi determinado em 4 sujeitos. Não houve diferença significante entre estes critérios. Verificou-se associações significativas entre a VFC de repouso e intensidade no LiVFC, pelo critério de Lima e Kiss (1999) e entre a FC de repouso com o percentual de queda da FC no minuto 5 da recuperação. Diante do exposto, verificou-se a obtenção de evidências de associação entre o LiVFC e a aptidão aeróbia, justificando a possível aplicabilidade deste limiar na adequação das cargas de treinamento para a caminhada em diabéticos tipo 2.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v17i1.925

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement