COMPARAÇÃO DOS INDICADORES DO ESTILO DE VIDA DE ESCOLARES DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DE ILHABELA

Eduardo Rossato de Victo, Gerson Ferrari, Dirceu Solé, João Junior, Timoteo Araújo, Victor Matsudo

Resumo


O objetivo do estudo foi comparar os indicadores do estilo de vida de escolares do ensino fundamental e médio de Ilhabela. A amostra foi composta por 400 escolares (11-18 anos) que faziam parte do Projeto Misto-Longitudinal de Crescimento, Desenvolvimento e Aptidão Física de Ilhabela. Foram aferidos o peso, a estatura e com posterior calculo do índice de massa corporal (IMC) para classificação dos escolares em eutrófico, excesso de peso ou obesidade de acordo com as curvas padrão da Organização Mundial da Saúde. Além disso, foram analisados indicadores de estilo de vida (transporte para escola, tempo de tela, TV no quarto, tempo de sono e dieta), atividade física (AF) e tempo sentado (TS) obtidos através de questionários. Foi utilizado o teste t de student e o teste do qui-quadrado na comparação dos resultados entre ensino fundamental e médio. A média de idade dos grupos ensino fundamental e médio foi 12,6 e 16,0 anos, respectivamente. Diferenças significantes entre os de ensino médio e fundamental foram observadas com relação à utilização de transporte ativo para a escola (20% x 48%, respectivamente), não atingir as recomendações de sono (70,3% x 47,8%, respectivamente), menores valores para alimentação saudável (3,61 x 3,86, respectivamente), e maior tempo gasto em AF leve foi maior no ensino médio (372,4 min x 281,1 min, respectivamente). Não houve diferenças entre os grupos quanto ao tempo gasto em AF moderada e vigorosa e o tempo sentado. Conclui-se que os alunos do ensino fundamental e médio apresentam comportamentos diferentes no tipo de transporte usado para escola, no tempo de sono e no gasto de AF com intensidade leve, assim como na alimentação. Estratégias de intervenção e mudanças no estilo de vida devem ser diferentes entre os escolares do ensino médio e fundamental.

Palavras-chave


estilo de vida, atividade física, exercício, adolescente

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.31501/rbcm.v28i1.9967

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement