CLASSIFICAÇÃO ESPORTIVA EM GINASTAS: PARTICIPAÇÃO COMPETITIVA VERSUS APTIDÃO FÍSICA GERAL E ESPECÍFICA

Autores

  • Ranon Louran do Espirito Santo Costa UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL
  • Ranon Louran do Espirito Santo Costa (1) Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) (2) Universidade do Porto, Faculdade de Desporto, Laboratório de Cineantropometria e Estatística Aplicada, CIFI2D. Porto, Portugal; (3) Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior-CAPES, Ministério da Educação do Brasil. Brasília-DF, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.31501/rbcm.v30i1.11559

Resumo

O estudo comparou a classificação por participação competitiva versus aptidão física geral e específica. A amostra foi composta por 72 ginastas de 11 e 12 anos (27 Elite; 45 Não - Elite), provenientes de 26 clubes de Ginástica Artística do Brasil. Foram obtidas informações antropométricas, de composição corporal e dados do treinamento. O desempenho motor geral foi avaliado por meio da bateria de teste American Alliance for Health (AAHPERD) e o desempenho motor específico por meio de sete testes da bateria de capacidades físicas do Talent Opportunity Program (TOPS). Foram utilizados os teste T de Student para comparar as médias obtidas pelos dois grupos em cada variável. Posteriormente, foi realizada uma análise de variância multivariada (MANOVA) para verificar variáveis diferentes entre os grupos e o Eta quadrado foi utilizado como medida de variância explicada. Utilizando as variáveis estatisticamente significativas no teste anterior (MANOVA), foi utilizada a função discriminante, opção passo-a-passo (forward stepwise), para encontrar o menor lote de variáveis para separar maximamente as ginastas dos dois níveis. As análises foram efetuadas no programa SPSS 25. Os resultados demonstraram que as ginastas de Elite apresentam valor significativamente superior (p<0.05) de horas de treinamento assim como valores superiores (p<0.05) nos testes de abdominal, impulsão vertical e score do TOPs e em seis testes da avaliação específica. Os resultados da análise discriminante mostraram que do grupo de variáveis utilizadas na análise, o score do TOPs foi a variável que mais discriminou os grupos. Assim o teste do esquadro é aquele que têm mais importância seguido do teste da corda. A reclassificação nos grupos foi de 80% para o grupo das Não-Elite e de 77.8% Elite. Em conclusão os resultados evidenciaram que levando em consideração os testes motores, as ginastas de Elite (classificadas por competição esportiva) apresentam resultados mais significativos que as Não-Elite.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-04-18

Edição

Seção

Artigo Original