A DANÇA NAS ACADEMIAS DE GINÁSTICA: MOTIVOS DE INSERÇÃO E PERMANÊNCIA

Autores

  • Ana Carolina Marques da Silva
  • Adriana de Faria Gehres Universidade de Pernambuco (UPE)
  • Iraquitan de Oliveira Caminha Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

DOI:

https://doi.org/10.31501/rbcm.v29i2.12153

Resumo

O presente estudo objetivou identificar os motivos de inserção e permanência de diferentes tipos de dança, nomeadamente o ballet, jazz, dança de salão, dança do ventre e a dança esportiva, em academias de médio a grande porte situadas em Recife-PE. Apoiamo-nos na abordagem qualitativa do tipo fenomenológica hermenêutica. Utilizou-se como instrumento a entrevista semi-estruturada. Os espaços selecionados atenderam a pelo menos dois dos seguintes critérios: academias de médio a grande porte, com mais de uma unidade física e maior popularidade nas redes sociais. Foram selecionadas 4 academias e 5 coordenadores responsáveis participaram das entrevistas. As narrativas foram interpretadas através de análises ideográficas e nomotéticas à luz da fenomenologia hermenêutica. Apresentamos na pesquisa questões referentes ao histórico, perfil e conceito das academias, a fim de identificar como estas academias se configuravam atualmente, além dos motivos de inserção e permanência da dança nos espaços das academias. Como conclusão apontamos os riscos de se reduzir a dança nas academias a um produto de consumo destinado às experiências autoeróticas de satisfação individualista, excluindo a possibilidade de considerar a dança como manifestação sociocultural do corpo que se expressa de maneira livre e criativa visando se relacionar com o outro. Palavras-chave: Academias de ginástica. Dança. Educação física.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina Marques da Silva

Mestre em Educação Física pelo Programa Associado de Pós-Graduação da Universidade de Pernambuco/Universidade Federal da Paraíba (UPE/UFPB), Membro participante do Grupo de Estudos e Pesquisas Socioculturais: o indivíduo em Educação Física e Desporto, Recife, PE, Brasil.

Adriana de Faria Gehres, Universidade de Pernambuco (UPE)

Doutora em ciências da Motricidade Humana pela Universidade Técnica de Lisboa. Professora Adjunta da Universidade de Pernambuco. Pesquisadora do Grupo de Estudos Ethnográficos em Educação e Educação Física (Ethnós, ESEF-UPE) e membro participante do Grupo de Pesquisa em Educação Física Escolar (GPEF) da Universidade de São Paulo.

Iraquitan de Oliveira Caminha, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Doutor em Filosofia pela Université Catholique de Louvain. Docente titular do Departamento de Educação Física do Programa Associado de Pós-Graduação em Educação Física da Universidade de Pernambuco/Universidade Federal da Paraíba (UPE/UFPB) e do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal da Paraíba.

Downloads

Publicado

2022-03-22

Edição

Seção

Artigo Original