OS BENEFÍCIOS DA PRÁTICA DE GINÁSTICA ARTÍSTICA COMO ATIVIDADE EXTRACURRICULAR NA CIDADE DE VITÓRIA/ES

Autores

  • Tharik Arnous Alves Núcleo de Pesquisa em Ginástica, Universidade Federal do Espírito Santo
  • Letícia Bartholomeu de Queiroz Lima Centro Universitário Herminio Ometto de Araras
  • Letícia Nascimento Santos Neves Universidade Federal do Espírito Santo
  • Myrian Nunomura Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.
  • Mauricio Santos Oliveira Universidade Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.31501/rbcm.v30i4.12918

Resumo

A partir da premissa de que há necessidade de oferecer uma formação integral dos discentes na escola, a qual ultrapassa as fronteiras dos currículos, observamos que as atividades extracurriculares apresentam um potencial proeminente. Estas podem ser consideradas complementares ao processo de formação do estudante, pois contribuem significativamente para o desenvolvimento de habilidades cognitivas, motoras e socioafetivas que catalisam o desempenho acadêmico e a formação integral dos indivíduos. Dentre as atividades extracurriculares oferecidas em instituições de ensino, públicas e privadas, verificamos que o esporte apresenta grande popularidade. No Brasil, devido ao sucesso dos atletas no alto rendimento, a Ginástica Artística (GA) ganhou espaço nesse setor e permite aos seus praticantes estímulos que vão além do aspecto físico-motor, ao propiciar o desenvolvimento cognitivo e socioafetivo dos ginastas. O presente estudo investigou quais benefícios a GA proporciona aos seus praticantes, na visão dos professores, em atividades extracurriculares em instituições de ensino da cidade de Vitória no Espírito Santo. Metodologicamente, optamos por um estudo descritivo cuja coleta de dados ocorreu por meio de entrevista semiestruturada. Para identificar as instituições que ofertam a modalidade no contra turno escolar, consultamos a Federação do Espírito Santo de Ginástica e sites institucionais. Diante dessa consulta, o universo da pesquisa foi constituído por 4 instituições com seus respectivos professores que foram selecionados pelo método de amostragem por intencionalidade. Sobre a organização e análise dos dados, recorreremos à Análise de Conteúdo. As entrevistas revelaram que os benefícios para os praticantes da GA em atividades extracurriculares são abrangentes, pois contemplam desde as habilidades físicas e motoras até os domínios cognitivo, afetivo e psicossocial. Ademais, observamos que o esporte extracurricular tem o potencial de promover um estilo de vida ativo que incide no bem-estar e saúde geral das crianças, sendo um importante aliado no desenvolvimento integral dos jovens ginastas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tharik Arnous Alves, Núcleo de Pesquisa em Ginástica, Universidade Federal do Espírito Santo

Graduado em Educação Física pela Universidade Federal do Espírito Santo. Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Ginástica Artística e Ginástica Para Todos.

Letícia Bartholomeu de Queiroz Lima, Centro Universitário Herminio Ometto de Araras

Possui graduação em Bacharelado em Esporte pela Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (2012) com período sanduíche na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (Portugal), mestrado em Ciências da Motricidade pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2016) e doutorado em Educação Física e Sociedade pela Faculdade de Educação Física da Universidade de Campinas (2020). Membro do Grupo de Pesquisa em Ginástica (GPG) da FEF-Unicamp e do Grupo de Estudos e Pesquisa em Gestão do Esporte (GEPAE) da EEFE-USP. Atualmente é docente do Centro Universitário Herminio Ometto de Araras.

Letícia Nascimento Santos Neves, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação Física, com sub área na fisiologia do exercício. Mestrado no Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Centro de Educação Física e Desportos (PPGEF em CEFD). Graduação em Educação Física pela Universidade Federal do Espírito Santo (Bacharel) e Licenciatura pela Faculdade Claretiano. Vinculada a Universidade Federal do Espírito Santo (UFES/ES), na linha de pesquisa: aspectos biomecânicos e respostas fisiológicas do movimento corporal humano. Atualmente é pesquisadora do LAFEX - Laboratório de Fisiologia do Exercício - UFES - Universidade Federal do Espírito Santo. Experiência em avaliação, prescrição e controle do treinamento com área de interesse: Corrida, Ginástica, esportes coletivos, Treinamento intervalado de alta intensidade, Limiares ventilatórios, de lactato e autonômicos, Treinamento aeróbio contínuo, variabilidade da frequência cardíaca e grupos específicos (obesos, cardiopatas).

Myrian Nunomura, Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Graduação (Licenciatura) em Educação Física pela Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (1989). Mestrado em Educação pela Yokohama National University, Japão (1995). Doutorado em Ciências do Esporte pela Universidade Estadual de Campinas (2001). Pós-doutoramento no Institute of Health and Sports Sciences da University of Tsukuba, Japão (2006-2008). Livre docência em Educação Física pela Universidade de São Paulo (2009). Atualmente é professora Titular da Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Desenvolve estudos em Ginástica Artística e Pedagogia do Esporte (formação esportiva, formação profissional e carreira esportiva). Orienta mestrado no programa da EEFERP e FFCLRP-USP e doutorado no programa da FEF-UNICAMP.

Mauricio Santos Oliveira, Universidade Federal do Espírito Santo

Licenciado Pleno e Bacharel em Treinamento em Esportes pela Faculdade de Educação Física (FEF) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Mestrado em Educação Física, na área de concentração Educação Física e Sociedade - Linha de pesquisa Esporte e Sociedade - pela FEF/UNICAMP. Doutor em Ciências pela Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) da Universidade de São Paulo (USP) na área de concentração Pedagogia do Movimento Humano. Ademais, possui o título de instrutor em esportes pela Escola de Ginástica de Ollerup (Gymnastikhøjskolen i Ollerup) na Dinamarca. Líder do Núcleo de Pesquisa em Ginástica (NPG), membro da Equipe Universitária de Estudos da Ginástica e do Grupo de Estudos e Pesquisa em Ginástica da USP (GYMNUSP). Docente no Centro de Educação Física e Desportos (CEFD) da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) alocado no Departamento de Desportos. Professor permanente do Programa de Pós-graduação em Educação Física do CEFD/UFES.

Downloads

Publicado

2023-10-30

Edição

Seção

Artigo Original