TENDÊNCIAS DE SOBREPESO E OBESIDADE EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES: REVISÃO SISTEMÁTICA

Autores

  • Debora Tornquist Universidade Federal de Pelotas
  • Luciana Tornquist Universidade Federal de Pelotas
  • Samara Tabanês Fernandes Vieira Universidade Federal de Pelotas.
  • Marcelo Cozzensa da Silva Universidade Federal de Pelotas.

DOI:

https://doi.org/10.31501/rbcm.v30i4.12977

Resumo

O estudo objetivou realizar uma revisão sistemática dos estudos de tendência temporal da prevalência de sobrepeso e obesidade em crianças e adolescentes. As buscas foram realizadas nas bases de dados PubMed e SciELO, utilizando a combinação de três palavras-chaves, empregando-se “tendência” combinada com “criança” ou “adolescente” e unidas a “sobrepeso” ou “obesidade”. Foram incluídos estudos compreendidos de outubro de 2013 a novembro de 2018, nos idiomas português, inglês e espanhol. Os critérios de inclusão adotados foram: estudos transversais e censos; que apresentassem dados de tendência temporal da prevalência de sobrepeso e/ou obesidade em crianças e/ou adolescentes; período de análise de tendência fosse constituído de pelo menos 10 anos; e o período final de avaliação compreendesse os últimos dez anos. Foram encontrados 2.109 artigos e após todas as etapas de análises, 19 estudos foram selecionados para compor a revisão. Entre os estudos incluídos, seis foram realizados na China, quatro nos Estados Unidos, três na Itália e em seis em outros países (Turquia, México, Camboja, Barbados, Suíça e Peru). Nenhum estudo realizado no Brasil atendeu a todos os critérios de inclusão. Onze estudos incluíram na amostra crianças e adolescentes, cinco estudos apenas crianças e três estudos apenas crianças em idade pré-escolar. Em 18 dos 19 estudos o peso e a altura foram medidos e em apenas um estas medidas foram referidas pelos pais. Quatro estudos apresentaram uma estabilização nas prevalências de sobrepeso e/ou obesidade (Peru, Camboja, Suíça e Itália); dois relataram redução (ambos na Itália) e treze estudos apresentaram aumento (China, Estados Unidos, México, Turquia e Barbados). É possível concluir que não há um consenso global sobre as tendências temporais de sobrepeso e obesidade na população infantojuvenil, demonstrando que as projeções para estas ocorrências são incertas e ressaltando a importância de um monitoramento individual de cada país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Debora Tornquist, Universidade Federal de Pelotas

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Educação Física da Universidade Federal de Pelotas. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/7961448985674709

Luciana Tornquist, Universidade Federal de Pelotas

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Educação Física da Universidade Federal de Pelotas. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/2658300497800158

Samara Tabanês Fernandes Vieira, Universidade Federal de Pelotas.

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Educação Física da Universidade Federal de Pelotas. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/6157771448123154

Marcelo Cozzensa da Silva, Universidade Federal de Pelotas.

Docente do Programa de Pós-graduação em Educação Física da Universidade Federal de Pelotas. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/6877841308694432

Downloads

Publicado

2023-10-30

Edição

Seção

Artigo de Revisão