GOVERNANÇA NO ESPORTE: UM OLHAR SOBRE A TRANSPARÊNCIA NA CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE HANDEBOL

Autores

  • Marcelo Oliveira Leite Universidade Federal do Paraná
  • Philipe Rocha de Camargo Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Fernando Marinho Mezzadri Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.31501/rbcm.v30i4.13520

Resumo

Nos últimos anos, notou-se uma crescente preocupação com a aplicação de práticas de governança nas entidades esportivas, tanto no contexto internacional, quanto nacional. No Brasil, tal preocupação balizou a modificação da Lei Pelé, que passou a determinar, que a exploração e a gestão do desporto profissional, enquanto atividade econômica, estão sujeitas à observância dos princípios da transparência financeira e administrativa, da moralidade na gestão desportiva e da responsabilidade social. Assim, esse estudo objetivou analisar se e como a Confederação Brasileira de Handebol (CBHb) desenvolve o princípio de transparência financeira e administrativa, como previstos pela legislação brasileira. Para isso, ao focar na análise do indicador ‘transparência’, elaborou um quadro, composto por 10 elementos, para analisar se e como a Confederação Brasileira de Handebol (CBHb) desenvolve os princípios de transparência financeira e administrativa previstos pela legislação brasileira. Ao longo do desenvolvimento da pesquisa, percebeu-se que a CBHb não se adequou às diretrizes demandadas pela legislação. Embora a entidade tenha atualizado algumas áreas e documentos, como seu estatuto, não foi possível identificar o desenvolvimento de estratégias de gestão que ampliem os processos de transparência na entidade, ou o desenvolvimento de um planejamento estratégico claro e coeso sobre as ações desenvolvidas pela entidade. Sequer foram desenvolvidos mecanismos que facilitem as buscas e possibilitem o acesso aos documentos que devem ser publicizados periodicamente. Os dados encontrados nos permitem inferir um processo de gestão desconforme dos princípios da moralidade e ética nos aspectos da governança e que distanciam, igualmente, a iniciativa privada da participação no esporte brasileiro

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Oliveira Leite, Universidade Federal do Paraná

Mestrando em Educação Física. Universidade Federal do Paraná

Philipe Rocha de Camargo, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutor em Educação Física pela Universidade Federal do Paraná (2020), com período de formação complementar em Loughborough University, no Reino Unido (2018-2019). Mestre em Educação Física pela Universidade Federal do Paraná (2016). Graduado em Educação Física pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2013).Pesquisador de Pós-Doutorado do Núcleo de Estudos em Política Públicas para o Esporte (NEPPE)-UFPR e do Instituto de Pesquisa Inteligência Esportiva - UFPR, atuandoprincipalmente nos seguintes temas de pesquisa: Esporte; Estado; Políticas Públicas, Gestão e Governança do Esporte; e Esporte Universitário. Como interesse particular estáenvolvido com a modalidade de Handebol, na qual possui experiência em treinamento esportivo.

Fernando Marinho Mezzadri, Universidade Federal do Paraná

Professor Titutar. Departamente de Educação Física. Universidade Federal do Paraná

Downloads

Publicado

2023-10-26

Edição

Seção

Artigo Original