Meningite em Brasília DF – Período 2007 – 2017 – Abordagem Epidemiológica

Autores

  • Edgard Albernaz Xavier Uniceplac
  • Marcos Masini Uniceplac

Resumo

Objetivo: Evidenciar o perfil epidemiológico de meningite no Distrito Federal entre os anos de 2007 a 2017. Método: Foi realizado um estudo transversal, com abordagem quantitativa e informações atreladas à base de dados do Sistema Nacional de Agravos de Notificação (SINAN). Resultados: Foram analisados 1.555 casos registrados no período, sendo 57,8% homens e 42,2% mulheres. Os menores de 1 ano são os mais acometidos com 25% do total. No quesito etiologia, a mais constatada foi a não especificada (34,3%), seguida de meningite por outras bactérias (19,1%) e viral (10,8%), respectivamente.  Em relação ao desfecho dos casos, 1.138 receberam alta e 234 vieram a óbito pela doença. Conclusão: Constatou-se, em consonância com a literatura, que os homens são mais acometidos, assim como, a população mais afetada é a de crianças com idade inferior a 1 ano. A alta incidência de casos com agente etiológico não especificado mostra que os métodos laboratoriais e diagnósticos devem ser aprimorados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edgard Albernaz Xavier, Uniceplac

Acadêmico de medicina em Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos, UNICEPLAC, Brasil.

Marcos Masini, Uniceplac

Doutor em medicina (Neurocirurgia) (Conceito CAPES 3). Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP, Brasil; Mestre em medicina (Neurocirurgia) (Conceito CAPES 3). Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP, Brasil.

Downloads

Publicado

2020-04-22