Uropatia obstrutiva secundária ao uso do ADE

Autores

  • Patricia Amaral Bicalho Morosini Hospital Regional da Asa Norte
  • Thiago Almeida Hurtado UniCEUB
  • Alice Romano Pontes de Faria Campos UniCEUB
  • Henrique Serra de Mello Martins Universidade de Brasília
  • Daniela Lucena De Figueiredo Universidade Católica de Brasília
  • Thaynara de Carvalho Ribeiro Escola Superior de Ciências da Saúde
  • Vanessa Álvares Teixeira Universidade Católica de Brasília
  • Tiago de Araujo Nunes Universidade Católica de Brasília
  • Murilo Olivieri e Jorge Centro Universitário de Brasília

Resumo

Fisiculturistas comumente utilizam esteróides anabolizantes e suplementos para melhorarem sua performance em competições. Compostos vitamínicos veterinários, como o Synthol, são utilizados em larga escala devido ao seu baixo custo e fácil acesso, entretanto, os níveis de toxicidade associado a essas elevadas doses podem acarretar lesões, sobretudo renais, quando utilizadas continuamente. Enquanto o recomendado para a ingestão diária por um adulto saudável é entre 800 e 4.000 UI, em apenas 100 mL de Synthol (vitaminas lipossolúveis A, D e E) são incorporadas 7.000.000 UI de vitamina D3. A ingestão sustentada de mais de 50.000 UI por dia está associada ao aumento dos níveis séricos de 25-hidroxivitamina D podendo causar hipercalcemia com potencial para calcificação renal metastática. No caso descrito, a hipercalcemia como resultado da administração exógena de vitamina D pode explicar o quadro de lesão renal aguda por efeito da vasoconstrição renal direta devido à diminuição da volemia em decorrência dos sintomas da hipercalcemia (anorexia, náusea, vômitos, constipação e poliúria). A hipercalciúria, secundária à hipercalcemia, leva à deposição de cálcio no parênquima renal, e eventualmente causa nefrocalcinose e dano irreversível, predispondo ao desenvolvimento de doença renal crônica. Quando a concentração de cálcio excede a sua solubilidade, placas de Randall são formadas. Essas placas de fosfato de cálcio podem se expandir para o tecido intersticial adjacente e promover a nefrocalcinose medular, ou penetrar no urotélio, predispondo a formação de cálculo, e uropatia obstrutiva com lesão renal. Embora incomum, a hipercalcemia, no caso apresentado, também pode estar relacionada a níveis elevados de vitamina A.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia Amaral Bicalho Morosini, Hospital Regional da Asa Norte

Médica nefrologista

Thiago Almeida Hurtado, UniCEUB

Estudante de Medicina do Centro Universitário de Brasília

Alice Romano Pontes de Faria Campos, UniCEUB

Estudante de Medicina do UniCEUB

Henrique Serra de Mello Martins, Universidade de Brasília

Estudante de Medicina da Universidade de Brasília

Daniela Lucena De Figueiredo, Universidade Católica de Brasília

Estudante de Medicina da Universidade Católica de Brasília

Thaynara de Carvalho Ribeiro, Escola Superior de Ciências da Saúde

Estudante de Medicina da Escola Superior de Ciências da Saúde

Vanessa Álvares Teixeira, Universidade Católica de Brasília

Estudante de Medicina da Universidade Católica de Brasília

Tiago de Araujo Nunes, Universidade Católica de Brasília

Estudante

Murilo Olivieri e Jorge, Centro Universitário de Brasília

Estudante de Medicina do Centro Universitário de Brasília

Downloads

Publicado

2020-04-22