Dermatite de Contato à Metilisotiazolinona

Autores

  • Fabíola da Silva Maciel Azevedo Hospital de Força Aérea de Brasília - HFAB
  • Paulo Eduardo Silva Belluco Escola Superior de Ciências da Saúde - ESCS
  • Carmélia Matos Santiago Reis Escola Superior de Ciências da Saúde - ESCS

Resumo

A metilisotiazolinona (MI) é um conservante presente em diversos produtos de cuidados pessoais como cosméticos e produtos de limpeza. A dermatite alérgica de contato por MI surgiu nos anos 80, tendo sua prevalência aumentado intensamente nos últimos anos devido ao seu amplo uso de forma isolada. O relato do caso mostra mulher com eczema crônico de mãos, que não apresentava resolução do quadro apenas com o uso de medicamentos. Assim, somente a realização de um teste de contato com as substâncias adequadas, que incluíam a MI a 0,2%, foi possível se constatar a grave sensibilidade da paciente. Discute-se dados da literatura, ressaltando a necessidade de atualização da bateria padrão brasileira, visando o correto diagnóstico de tão importante patologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabíola da Silva Maciel Azevedo, Hospital de Força Aérea de Brasília - HFAB

Especialista em Pediatria. Membro da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia.

Paulo Eduardo Silva Belluco, Escola Superior de Ciências da Saúde - ESCS

Especialista em Alergia e Imunologia. Mestrando acadêmico em Ciências da Saúde pela Escola Superior de Ciências da Saúde - ESCS - Brasília/DF

Carmélia Matos Santiago Reis, Escola Superior de Ciências da Saúde - ESCS

Mestre e Doutora em Dermatologia. Coordenadora de Cursos de Pós-Graduação e Extensão da Escola Superior de Ciências da Saúde - ESCS

Downloads

Publicado

2020-11-02