Diagnóstico diferencial e etiologias possíveis de demência em idosa internada: estudo de caso

Vitorino Modesto dos Santos, Giovana Ferraz Cavancati, Danielle Ferreira Lima Raulino de Souza, Luis Henrique Jorge e Costa, Carolina Francisco Tristão

Resumo


Demência é o comprometimento adquirido da memória, associado com perda de pelo menos uma das outras funções cognitivas como linguagem, gnosias, praxias ou funções executivas, interferindo na capacidade funcional, e no desempenho social ou profissional dos indivíduos. A frequência de demências, em países industrializados, varia de 3% aos 70 anos até 20 a 30% aos 85 anos, aumentando com a idade. Demências primárias decorrem de atrofia cortical e o exemplo mais comum é a doença de Alzheimer; incluem também aquelas de origem vascular, de atrofia subcortical e de ataques isquêmicos transitórios. As demências secundárias estão associadas a outras doenças, como hipotireoidismo e deficiência de vitamina B12. De grande importância, é a história clínica detalhada do paciente, confirmada por algum parente, amigo ou cuidador. O diagnóstico também está baseado em uma avaliação objetiva das funções cognitivas e das atividades da vida diária. Descrevemos e discutimos as possíveis causas de um episódio de demência aguda em uma mulher de 72 anos.


Texto completo:

PDF