Análise da situação de saúde da cidade estrutural, Distrito Federal, através de questionário de risco auto-referido

Autores

  • Bárbara Vieira Carneiro UCB
  • Ana Carolina Pessôa Simões UCB
  • Bárbara Assumpção Paes Leme UCB
  • Fernanda Alves de Sousa Costa UCB
  • Liana Chaul Sfair UCB
  • Roberto José Bittencourt UCB

Resumo

OBJETIVO: Estimar a prevalência de comportamentos de risco, bem como de hipertensão arterial sistêmica e diabetes mellitus auto referidos na população da cidade Estrutural-DF. A partir dos dados coletados, em comparação com estudos disponíveis na literatura, traçar um perfil de saúde da região.

MÉTODO: Estudo observacional, analítico e transversal, com amostragem aleatória, proporcional à população das quadras da Estrutural segundo o censo de 2010. Os questionários foram aplicados em visita domiciliar, referentes a dados pessoais, condições socioeconômicas, tabagismo, atividade física e diagnóstico de HAS e DM. O processamento e a análise dos dados foram realizados através do programa EPIINFO. Por fim, realizou-se a comparação com dados obtidos em estudos disponíveis na literatura, com metodologia e semelhante.

RESULTADO: Foram aplicados 282 questionários, em 138 domicílios, com predomínio do sexo feminino entre os entrevistados (66,7%), sendo a faixa etária prevalente a de 25 a 44 anos, e significativa maioria da população com oito anos ou menos de escolaridade.

Em relação ao tabagismo, 20% dos entrevistados afirmaram o hábito, número consideravelmente superior aos verificados no DF e no Brasil. Observou-se ainda, menor prevalência da prática de atividade física em comparação com a população do DF.

Quanto à hipertensão, 18,44% referiram o diagnóstico da doença, número inferior àqueles para o DF e Brasil. O percentual de diabéticos foi de 5,32% da população entrevistada, número superior ao do DF, mas menor que o percentual brasileiro.

CONCLUSÃO: Pesquisas populacionais são importantes fontes de informações em saúde, nas mais variadas metodologias (entrevistas domiciliares, por telefone, questionários auto aplicados), e por isso, a crescente necessidade de conhecer e explorar tais ferramentas. Apesar dos vieses, guardadas as devidas particularidades, a análise e interpretação de vários determinantes possibilitou a obtenção da situação de saúde e permitiu a estruturação de ações e políticas de saúde melhor embasadas.

 

PALAVRAS-CHAVE: Promoção da Saúde; Perfil de Saúde; Risco.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bárbara Vieira Carneiro, UCB

Acadêmica de medicina da Universidade Católica de Brasília

Ana Carolina Pessôa Simões, UCB

Acadêmica de medicina da Universidade Católica de Brasília

Bárbara Assumpção Paes Leme, UCB

Acadêmica de medicina da Universidade Católica de Brasília

Fernanda Alves de Sousa Costa, UCB

Acadêmica de medicina da Universidade Católica de Brasília

Liana Chaul Sfair, UCB

Acadêmica de medicina da Universidade Católica de Brasília

Roberto José Bittencourt, UCB

Professor do curso de medicina da Universidade Católica de Brasília

Downloads

Publicado

2013-04-27