Síndrome da Rubeóla Congênita: revisão de literatura

Fernanda Alves Sousa Costa, Amanda Valença Melo Quadrado, Angela Pessôa Brandão, Bárbara Assumpção Paes Leme, Bárbara Vieira Carneiro, Deiseane Lima Marinho Castanho, Liana Chaul Sfair, Carlos Henrique Roriz Rocha

Resumo


Resumo:

A rubéola se caracteriza por uma infecção viral normalmente de caráter benigno em crianças e adultos, contudo ao atingir gestantes, essa tem um efeito teratogênico devastador que causa seqüelas irreversíveis que é a chamada Síndrome da Rubéola Congênita. A Síndrome pode induzir desde meningite crônica até nefrite intersticial, ou seja, pode comprometer todos os sistemas fetais, algumas fatais e que levam ao aborto e outras extremamente debilitantes. A rubéola não possui tratamento específico, representando uma grande dificuldade para a obstetrícia e a pediatria. Assim a proposta desse artigo é trazer informações sobre a doença e sua prevenção; pois, por causa da ausência de tratamento eficaz e específico, a identificação precoce de casos potenciais e sua correta conduta e as campanhas e bloqueios de vacinação são as principais armas para o combate a essa patologia.

Palavras chaves: Rubéola; Vírus da Rubéola; Síndrome da Rubéola Congênita; Vacina contra Sarampo-Caxumba-Rubéola.


Texto completo:

PDF