Manejo da dor pós-operatória: uma revisão bibliográfica

Patrícia Araújo Pinto Teixeira, Lorena Taveira Amaral, Larissa Radd Magalhães de Almeida, Júlio Cézar Reis Protásio, Arnaud Macedo de Oliveira Filho

Resumo


A dor pós-operatória (DPO) é uma entidade clínica comum e esperada após operações de grande e médio porte decorrente da ativação de nociceptores e da resposta inflamatória local no sítio da lesão cirúrgica. A DOP não tratada ou inadequadamente tratada produz efeitos deletérios no organismo aumentando a morbi-mortalidade no pós-operatório. A abordagem da DOP abrange drogas e técnicas analgésicas para reduzir tanto a dor como efeitos nocivos de longo prazo. Este trabalho tem como objetivo descrever a fisiopatologia da dor pós-operatória e expor as possibilidades de tratamento da DOP visando aprimorar a abordagem da dor pós-operatória. O manejo da DOP é parte essencial da evolução pós-cirúrgica do paciente. Concluímos que apesar de seu tratamento baseado em técnicas anestésicas e drogas analgésicas amplamente disponíveis, estas são subutilizadas. Faz-se necessária a criação de protocolos de tratamento da DOP abordando terapêuticas disponíveis e indicação para cada tipo de paciente cirúrgico. 


Texto completo:

PDF