Acupuntura e Hemiplegia: Revisão Sistemática

Cláudio Hiroshi Nakata, Priscilla Flávia de Melo, Pâmella Karoline de Morais, Gilmara Hussey Carrara da Silva

Resumo


O Acidente Vascular Encefálico (AVE) é a segunda maior causa de mortes no mundo e no Brasil 40% das doenças cardiovasculares possuem predomínio do AVE, no qual cerca da metade dos sobreviventes apresentam sequelas como a hemiplegia. Como parte do fenômeno da globalização, ocorre a aproximação dos conhecimentos milenares da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) com os da Medicina Ocidental (MO) e, em 2003, a Organização Mundial da Saúde (OMS) publica um relatório validando o uso da acupuntura para a reabilitação do paciente acometido pelo AVE. Apesar dessa aproximação proporcionar uma complementação mútua no tratamento de diversas patologias, da qual os pacientes são os grandes beneficiados, a utilização da acupuntura na prática clínica de reabilitação continua inexpressiva. O objetivo desta pesquisa foi realizar uma revisão sistemática dos artigos que abordam a análise da reabilitação do paciente hemiplégico pós-AVE utilizando a acupuntura, publicados nos últimos cinco anos, a fim de ratificar a eficácia desse tipo de tratamento. A pesquisa da literatura foi realizada nas bases eletrônicas de dados: MedLine/PubMed, SciELO, LILACS e EMBASE. O estudo abordou artigos escritos em inglês, português, espanhol e mandarim publicados nos últimos 5 anos (2009 a 2013). Nesta revisão sistemática a acupuntura demonstrou ser uma terapia viável, que pode minimizar os efeitos deletérios da hemiplegia decorrente do AVE. Técnicas de acupuntura craniana, abdominal e sistêmica associados ou não a outros tratamentos de reabilitação apresentaram respostas positivas na recuperação dos pacientes.



Texto completo:

PDF