Fibromialgia e Depressão: uma relação indefinida

Anita de Oliveira e Souza, Raquel Nascimento Matias, Marina Sousa da Silva, Rebeca Alevato Donadon, Daniele Oliveira Ferreira da Silva

Resumo


Este estudo tem como objetivo estabelecer uma relação causal entre fibromialgia (SF) e depressão (MDD). Trata-se de uma revisão bibliográfica baseada na literatura mais recente, de até 5 anos, realizada por meio de consulta a artigos científicos selecionados através de busca na base de dados PubMed por meio de MeSH Terms (Medical Subject Headings). A literatura trata a fibromialgia como uma síndrome crônica, dolorosa, não inflamatória e de etiologia desconhecida e aponta que a ausência de substrato anatômico na fisiopatologia dessa síndrome e a sintomatologia próxima a da depressão maior geram incertezas acerca da definição da doença. Os estudos encontrados sobre essa relação causal elencam a fibromialgia com a segunda condição médica geral mais comum relacionada à depressão; no entanto, não está claro se a depressão é resultado de sintomas crônicos, se ambos compartilham a mesma base genética ou se há combinação entre esses dois mecanismos. Os parâmetros que embasaram o estudo foram: sinais de afeto positivo (PA) como sentir-se forte, entusiasmado, determinado e sinais de afeto negativo (NA) como tensão, nervosismo, irritabilidade e rastreio e confirmação de diagnóstico de comorbidades psiquiátricas e grau de funcionalidade. Viu-se que a característica essencial para a fibromialgia é a incapacidade de sustentar o afeto positivo em momentos de extrema dor e de estresse; portanto, especula-se que a resposta emocional é generalizada em pacientes com SF. Evidencia-se, então, que há associação entre MDD e SF, porém a literatura não esclarece a qualidade desta relação: se a SF é causa da MDD, se a SF é consequência da MDD ou se são apenas comorbidades. Estabelecer a complexidade dessa relação causal é menos relevante do que o simples conhecimento da heterogeneidade da apresentacão da SF, evidenciando que este saber médico proporciona a instituição de tratamento adequado e individualizado, contribuindo assim para uma melhor adesão.


Texto completo:

PDF