Malária e suas repercussões oftalmológicas – uma revisão

Nayara Santos Soares, Ana Carolina de Carvalho Almeida Boson, Camila da Gama Campos, Júlia de Souza Araújo, Rafaella Britto, Benedito Antônio de Souza

Resumo


A malária, uma das moléstias de cunho parasitário mais importantes do mundo, é causada pela picada do mosquito Anopheles quando infectado pelo protozoário do gênero Plasmodium. Tendo em vista essa afecção parasitária, é importante ressaltar sua prevalência nos países com clima tropical e subtropical, trazendo consequências significativas na morbimortalidade destas populações. Objetivo: Esse trabalho tem como fim a explanação sobre o tema malária e suas manifestações clinico patológicas, abordando também os seus diagnósticos e tratamentos. O foco, contudo, é a repercussão oftalmológica provocada pela doença. Método: revisão bibliográfica. Conclusão: Sabemos que o principal agente causador da malária que afeta o SNC e os olhos é o  P. falciparum, sendo esta forma de malária a mais grave. Como fisiopatologia, temos processos inflamatórios e obstrutivos causado pela infeção. A principal estrutura oftálmica a ser afetada é a retina, podendo também envolver manifestações clínicas diversas, levando a severas consequências no aparelho visual do afetado. Tornando importante incluir no protocolo do diagnóstico, evolução e tratamento a fundoscopia, pois, após a confirmação da existência da forma malárica retiniana, deve-se buscar o tratamento adequado, considerando que a evolução indica para a forma cerebral da doença, com risco de evoluir para morte do paciente.

Texto completo:

PDF