Avaliação pré-operatória de fístula perianal: importância da ressonância magnética

Guilherme Medeiros de Souza, Gleim Dias de Souza, Luciana Rodrigues Queiroz de Souza, Ronaldo Mafia Cuenca, João Marcos Ibrahim de Oliveira

Resumo


As fístulas perianais correspondem a um pertuito anormal comunicante entre a porção terminal do intestino grosso e um orifício externo na pele. Infecções criptogandulares, mais comumente, podem evoluir na fase aguda com abscessos perirretais e, quando crônicas, fístulas perinanais. Afecçãopouco comum do trato gastrointestinal acometendo geralmente adultos jovens com uma prevalência de 0,01% na população geral, predominando no sexo masculino com proporção de 2:1. O método de escolha para diagnóstico de fístula perianal é a ressonância magnética (RM) pois demonstra com mais acurácia todos os planos envolvidos e o trajeto fistuloso. Fistulografia, tomografia computadorizada (TC), enema baritado e endossonografia anal também podem ser utilizados. Ainda pode-se realizar exames com o paciente sob anestesia como proctosigmoidoscopia e colonoscopia. O tratamento cirúrgico, quando estabelecido e guiado pela RM reduz a taxa de recorrência em 75% dos pacientes com doença complexa.

Texto completo:

PDF