Avaliação da citotoxicidade da fração do soro de hevea brasiliensis em linhagem celular de câncer de pulmão

Fabianna Almeida, Bruna Lamounier, Fátima Mrué, Elisangela Lacerda, Ingrid Travassos

Resumo


Introdução: O câncer de pulmão vem apresentando alta incidência e mortalidade no mundo, nas últimas décadas. A quimioterapia é a base do seu tratamento, entretanto implica em importantes efeitos colaterais. Para minimizá-los, pesquisadores têm estudado o potencial antineoplásico de plantas, como a Hevea brasiliensis (HB), conhecida como seringueira. Há indícios científicos de que o soro da HB (HBS) apresenta ação antineoplásica em algumas linhagens tumorais. Sendo assim, o presente estudo teve como objetivo investigar a citotoxicidade da fração F3 e do HBS em linhagem celular de Câncer de pulmão não pequenas células e em células não tumorais. Métodos: Estudo experimental in vitro. Para os ensaios biológicos foram utilizadas linhagens aderentes L929 (Fibroblasto murino ) e NCI-H 1975 (Carcinoma pulmonar de não-pequenas células). As linhagens celulares foram tratadas por 48h com diferentes concentrações de HBS e da fração F3, e, posteriormente, submetidas a Teste de Viabilidade Celular, seguido de análise estatística. Resultados: O HBS apresentou discreto efeito sobre a linhagem normal, com diminuição máxima da viabilidade em 30% quando utilizada a concentração de 25 ?g ml-1. Em relação à HBS na linhagem do câncer de pulmão, assim como a Fração F3 em ambas as linhagens, não se observou qualquer efeito inibitório. Discussão: O uso terapêutico do HBS iniciou-se com sua aplicação como biomaterial em 1996. Recentemente, estudos têm apontado para um potencial antineoplásico contido em frações do HBS. A fração F3 demonstrou previamente um efeito modulador do processo inflamatório, com importante produção de interleucina 10 (IL-10). A IL-10 é uma potente citocina anti-inflamatória, reconhecida como moduladora do crescimento e diferenciação das células inatas do sistema imunológico, sugerindo um potencial efeito imunoterapêutico para o câncer. Conclusões: No presente trabalho, a fração do soro da Hevea brasiliensis não demonstrou atividade antiproliferativa sobre linhagem de câncer de pulmão.


Texto completo:

PDF