Relação entre as condições socioeconômicas e as taxas de incidência de dengue nas regiões administrativas do Distrito Federal.

Autores

  • Natália Gontijo Ribeiro Universidade Católica de Brasília
  • Henrique Freitas Araújo Universidade Católica de Brasília
  • Lucas Figueiredo Lacerda Universidade Católica de Brasília
  • Pedro Henrique Rosa da Silveira Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal
  • Raquel Scafuto Barbosa de Castro Universidade Católica de Brasília
  • Carlos Bernardo Tauil Universidade Católica de Brasília

Resumo

Objetivo: Verificar a relação entre as condições socioeconômicas e a incidência de dengue. Método: Calculou-se o coeficiente de correlação de Pearson a partir dos dados do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e das taxas de incidência de dengue nas Regiões Administrativas do Distrito Federal nos anos de 2012, 2013, 2014 e 2015. Resultados: Observou-se que, nos últimos quatro anos, há uma correlação inversa entre o IDH e as taxas de incidência de dengue. Conclusões: Boas condições socioeconômicas são fatores protetores em relação à dengue.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natália Gontijo Ribeiro, Universidade Católica de Brasília

Graduando de Medicina.

Henrique Freitas Araújo, Universidade Católica de Brasília

Graduando de Medicina.

Lucas Figueiredo Lacerda, Universidade Católica de Brasília

Graduando de Medicina.

Pedro Henrique Rosa da Silveira, Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal

Médico-residente de Clínica Médica no Hospital Regional da Asa Norte

Raquel Scafuto Barbosa de Castro, Universidade Católica de Brasília

Graduando de Medicina.

Carlos Bernardo Tauil, Universidade Católica de Brasília

Médico Neurologista, Preceptor da residência em Neurologia, Unidade de Neurologia, Hospital de Base do Distrito Federal, Brasília, Distrito Federal, Brasil. 

Downloads

Publicado

2016-05-15