Um caso de corioangioma na gravidez

Parizza Ramos de Leu Sampaio, Diego Fraga Rezende, Adriana Gualda Garrido

Resumo


O corioangioma é o tumor benigno mais comum de placenta ocorrendo em aproximadamente 1% de todas as gestações ou em 0,5-1% de todas as placentas de termo examinadas. Eles se comportam como lesões pequenas, únicas, intra-placentária, encapsuladas projetando para a superfície fetal, geralmente perto da inserção do cordão umbilical. Na maioria dos casos, o tamanho do tumor se estabiliza, e, portanto, permanece assintomática, ou então ele cresce e causa consequências materno e fetal. As principais complicações são fetais como: insuficiência cardíaca, polidrâmnio (14% -28%), restrição de crescimento intra-uterino (30%), prematuridade (40%). Embora o diagnóstico precoce de corioangioma seja importante para otimizar o resultado perinatal, é difícil fazer um diagnóstico diferencial preciso das massas placentárias, mas o Doppler colorido ajuda a diferenciar esse tumor dos demais tumores da placenta mostrando a alta vascularização dentro do tumor e com isso fornece informações importante no prognóstico e permite tomar medidas adequadas de precaução quanto as complicações perinatais associadas ao tumor.  


Texto completo:

PDF