Burnout: fatores de riscos em uma unidade militar

Wellington Fernando da Silva Ferreira, Cláudia Ribeiro de Vasconcelos, Denecir de Almeida Dutra

Resumo


Objetivo: Evidenciar possíveis fatores de riscos préditores ao desenvolvimento da Síndrome de Burnout (SB) em profissionais da saúde, civis e militares, em uma unidade militar de saúde de médio/grande porte na cidade de Curitiba-PR. Métodos: Estudo de corte transversal, epidemiológico de caráter quantitativo e exploratório de natureza intervencionista. Aplicou-se um questionário/instrumento que mensura fatores de riscos que englobam aspectos fundamentais relacionado ao trabalho. Resultados e Discussões: Tratou-se de investigar fatores de riscos associados a 162 profissionais participantes do estudo desenvolvido no mês de outubro de 2015, compõem as amostras, militares N 71 (46%) e civis N 91 (54%). As interfaces entre os fatores de riscos, organizacional, individual, laboral e social, evidenciou o apontamento para ambos profissionais, quanto excesso de normas, observou-se, ainda, estarem em controle perante as atividades laborais, falha na comunicação, um leve acúmulo de tarefas, dificuldade com o ambiente estrutural, em sua maioria empática, otimista, comprometida, porém controladores, negativos e inseguros, encontrando-se desvalorizados perante a sociedade. Conclusão: É de extrema relevância combater os fatores relacionados a ambos os profissionais, assim evitando o surgimento da SB, visando o bem-estar destes profissionais, evidenciando o papel de gestão do profissional enfermeiro e aos militares no subcampo da enfermagem do trabalho e de saúde mental.

Palavras-Chave: Síndrome de Burnout; Fatores de Risco; Enfermagem em Saúde Mental; Enfermagem do Trabalho; Segurança Pública.


 


Texto completo:

PDF