Rotina fonoaudiológica na unidade de terapia intensiva neonatal de um hospital materno infantil

Vanessa Pereira da Silva Dantas, Talita Córdoba Brandão, Marlene Escher Boger

Resumo


Introdução: O trabalho fonoaudiológico com recém-nascidos engloba ações que propiciam a assistência à alimentação promovendo o correto desenvolvimento das estruturas do sistema estomatognático e a prevenção e detecção precoce de perdas auditivas, sendo fundamental para que a criança possa desenvolver-se globalmente. Objetivo: Analisar a rotina fonoaudiológica na UTI neonatal do Hospital Materno Infantil de Brasília. Método: Trata-se de um estudo descritivo, transversal. A casuística foi constituída por fonoaudiólogas que atuam na UTI neonatal do hospital. O questionário possui questões abertas e fechadas, com alternativas de respostas. Os dados estatísticos foram pesquisados via Internet nos sites da Secretaria de Saúde do Distrito Federal e IBGE. Resultados: A UTI neonatal disponibiliza 45 leitos, apresenta uma taxa de ocupação de 96%, com média de permanência de 18 dias. A intervenção fonoaudiológica está voltada basicamente para assistência à alimentação e estimulação da motricidade orofacial. A triagem auditiva é realizada posteriormente em pelo menos 95% dos recém-nascidos no hospital, que estão internados na UCI ou no ALCON. Conclusão: A atuação das fonoaudiólogas do HMIB nos recém-nascidos é de grande importância já que muitos dos distúrbios da deglutição são frequentemente a base de problemas nutricionais, pulmonares e otorrinolaringológicos.


Texto completo:

PDF