Enteropatia crônica por radiação em câncer de vagina

Autores

  • Marcus Vinicius Ferreira Dutra Hospital das Forças Armadas
  • Sandro José Martins Hospital das Forças Armadas
  • Vitorino Modesto Santos Hospital das Forças Armadas e Universidade Católica de Brasília
  • Marcos Vasconcelos Carneiro Hospital das Forças Armadas

Resumo

Paciente com 74 anos submeteu-se a radiação pélvica, quimioterapia e braquiterapia em 2013 para carcinoma escamoso moderadamente diferenciado invasor de vagina e apresentou retite actínica hemorrágica. Em 2015 passou a apresentar dor abdominal difusa e diarreia sanguinolenta e a enterotomografia revelou imagens de espessamento parietal transmural de alças delgadas na transição jejunoileal. Com diagnóstico de enteropatia crônica por radiação, atualmente realiza sessões de oxigenioterapia hiperbárica, mantendo quadro clínico estável. Um caso de enteropatia crônica por radiação pélvica para câncer de vagina avançado é descrito, comentando as complicações da radiação e salientando o uso da oxigenioterapia hiperbárica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcus Vinicius Ferreira Dutra, Hospital das Forças Armadas

Médico Residente de Clínica Médica do Hospital das Forças Armadas

Sandro José Martins, Hospital das Forças Armadas

Professor Adjunto da Universidade de Brasília e Preceptor de Oncologia do Hospital das Forças Armadas

Vitorino Modesto Santos, Hospital das Forças Armadas e Universidade Católica de Brasília

Professor Adjunto I da UCB e Preceptor do Departamento de Medicna Interna do HFA

Marcos Vasconcelos Carneiro, Hospital das Forças Armadas

Médico, PhD, preceptor de Gastroenterologia do Hospital da Forças Armadas

Downloads

Publicado

2017-06-17