Síndrome do Roubo da Subclávia: Um relato de Caso

Autores

  • Marcus Vinícius Silva Ferreira Universidade Católica de Brasília
  • Antônio Carlos Souza Universidade Católica de Brasília

Resumo

Objetivo: Relatar o caso de um paciente com sintomas neurológicos vertebrobasilares decorrentes de estenose na origem da artéria subclávia, enfatizando a importância da anamnese e do exame físico para o diagnóstico da Síndrome do Roubo da Subclávia.

Descrição do Caso: Homem de 79 anos começou a apresentar perda do equilíbrio há 6 meses, associada a tonturas e ataxia, desencadeadas por esforços no braço esquerdo, que determinou sua queda sem perda de consciência, em duas ocasiões. Possuía antecedente de hipertensão arterial leve e dislipidemia. Ao exame físico, encontrava-se em bom estado geral, corado, hidratado e com marcha atáxica. Pressão arterial aferida no braço direito 140x85 mmHg e no braço esquerdo 80x50 mmHg. O ritmo cardíaco era irregular, com extrassístoles. Foi solicitada angiorressonância de vasos extra e intracranianos que demonstrou estenose de mais de 80% na origem da artéria subclávia esquerda.

Discussão: A Síndrome do Roubo da Subclávia consiste na presença de um fluxo retrógrado através da artéria vertebral, resultante de uma estenose proximal na artéria subclávia ipsilateral, sendo sua causa mais comum a aterosclerose. A maioria dos pacientes é assintomática, porém alguns podem manifestar sintomas na vigência de esforços em membros superiores. O ecodoppler, a angioressonância ou a angiotomografia são exames úteis à confirmação de Síndrome do Roubo da Subclávia. Todos os pacientes devem ser submetidos à terapia medicamentosa profilática cardiovascular, sendo a terapia de reperfusão restrita para pacientes com sintomas graves.

Conclusão: Na presença de sintomas vertebrobasilares em pacientes idosos, deve-se levantar a suspeita de estenose da artéria subclávia e Síndrome do Roubo da Subclávia como diagnóstico diferencial. A realização de um bom exame físico neurológico e a aferição da pressão arterial em ambos os braços são avaliações de baixo custo que conseguem reforçar a hipótese clínica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcus Vinícius Silva Ferreira, Universidade Católica de Brasília

Acadêmico da Universidade Católica de Brasília

Antônio Carlos Souza, Universidade Católica de Brasília

Professor Doutor da Universidade Católica de Brasília e Médico assitente na Clínica ANGIOMEDI

Downloads

Publicado

2017-10-24