Revisão Sistemática: Qual modalidade de atividade física prescrever para o paciente idoso?

Paulo D´Arcadia de Brito Neto, Ricardo Tavares Borges, Kyara Luiza Holanda de Brito, Fernanda Silveira Tavares

Resumo


Introdução: Com o incremento da parcela de idosos na população brasileira nos últimos anos, surge a necessidade de elaborar políticas de saúde pública voltadas para esse grupo. Para que essas políticas sejam efetivas, apresentando impacto significativo na morbi-mortalidade, é necessária evidência científica de qualidade.

Objetivo: Reunir evidência científica sobre essa questão, possibilitando assim que os profissionais de saúde que lidam com pessoas idosas possam tomar a melhor decisão do ponto de vista clínico.

Material/Métodos: Revisão sistemática da literatura com artigos pesquisados na base de dados Pubmed, Scielo, Lilacs e Cochrane com referências publicadas na língua inglesa em um período compreendido entre agosto de 2012 a agosto de 2017.

Resultados/Discussão: Quanto aos aspectos cognitivos, dois estudos não encontraram diferenças significativas entre diferentes tipos de atividade física e um estudo observacional constatou efeito protetor do treino aeróbico. Quanto à marcha e equilíbrio, um ensaio clínico e uma revisão sistemática concluíram que treinos combinados são mais eficazes em melhorar a marcha e diminuir o risco de quedas.  

Conclusão: Treinos combinados, ao reunir o ganho de força muscular dos exercícios resistidos com os benefícios cardiovasculares e metabólicos do treino aeróbico, são o tipo de atividade física que apresenta maior impacto favorável na saúde de pacientes idosos.

 

Palavras-chave: “Exercício”, “atividade física”, “treinamento aeróbico”, “treinamento de resistência”, “idosos”.


Texto completo:

PDF