Síndrome de Stevens-Johnson - relato de caso

Vitorino Modesto Santos, Lessandra Silva Bazi, Luciana Nunes Assis Daameche, David Lima Pedrosa, Ariadne Mota Revoredo Soares

Resumo


Entre as reações imunes graves a medicamentos, a síndrome de Stevens-Johnson e a necrólise epidérmica tóxica são caracterizadas por acometimento da pele e de mucosas com lesões maculares e erupções morbiliformes dolorosas, que podem evoluir com bolhas e erosão da pele por necrólise. Tem grande potencial de letalidade quando não tratadas de forma rápida e adequada. As lesões cutâneas em alvo, além do acometimento de mucosas (ocular, nasal, genital e gastrointestinal), são essenciais para caracterizar a síndrome. Em caso de medicação suspeita, essa deve ser suspensa de imediato. Apesar de baixa incidência, a mortalidade é elevada e sequelas ocorrem com a progressão das lesões. O desnudamento de pele e mucosas aumenta o risco de infecção secundária. Relata-se um caso de síndrome de Stevens-Johnson com diagnóstico precoce e cuidados em unidade para tratamento intensivo de queimados. Houve boa resposta ao tratamento, com regressão das lesões e sem infeção secundária, Enfatiza-se o bom prognóstico em doença com altas taxas de mortalidade e de complicações.

Texto completo:

PDF