Presença de parasitos intestinais em moradores de assentamento da reforma agrária no Pontal do Triângulo Mineiro

Nathalia Sousa Lima, Renata Gregorio Franco Moura, César Gómez Hernández, Karine Rezende de Oliveira

Resumo


Objetivo: Avaliar a presença de formas parasitarias em amostras de fezes e da água para consumo dos moradores de um assentamento da reforma agrária em Ituiutaba, Minas. Além disso, identificar o conhecimento prévio sobre as doenças. Métodos: Participaram do estudo pessoas com 40 a 60 anos moradores do assentamento. Um questionário foi aplicado para avaliar o conhecimento da comunidade sobre as enteroparasitoses e em seguida realizada a coleta de amostras fecais e da água para análise pelos métodos de Ritchie e de Hoffman, Pons e Janer. Resultados: Foram coletadas 39 amostras de fezes sendo 26 (51,3%) positivas para parasitos intestinais. Dentre as amostras positivas 20 (77%) amostras apresentaram cistos de Endolimax nana, quatro (15,4%) cistos de Giardia lamblia ou Entamoeba coli, duas amostras (7,7%) continham cistos de Entamoeba histolytica/dispar e uma (3,8%) cisto de Iodamoeba butschlii. Quatro amostras hídricas (15%) apresentaram cistos de E. nana. Quanto ao questionário, 43 pessoas responderam, sendo 13 participantes (34,3%) afirmaram que não é possível se contaminar com enteroparasitos por meio da água e terra, enquanto que 29 (76,4%) pessoas acreditam que a ingestão de água e alimentos seja fonte de infecção. Conclusões: Estes resultados demonstram que pode haver uma fonte de contaminação da água favorecendo a infecção dos moradores e esse fato potencializado pela falta de informações básicas sobre a profilaxia, observado nos resultados dos questionários de conhecimento prévio aplicado aos moradores do assentamento

Texto completo:

PDF